sexta-feira , 21 novembro 2014
Capa / Entrevistas / Pr. Antônio Gilberto: Os desvios doutrinários e a importância da doutrina bíblica para a igreja
Anuncie no site Seara News

Pr. Antônio Gilberto: Os desvios doutrinários e a importância da doutrina bíblica para a igreja

Na entrevista, com exclusividade para Seara News, o pastor esclarece assuntos polêmicos, do ponto de vista bíblico, doutrinário e teológico, destacando a importância da doutrina bíblica para a igreja. As citações e referências bíblicas são à luz do texto original.

Pr. Antônio Gilberto

Ex-cientista da NASA, a agência espacial americana, o pastor Antônio Gilberto é consultor doutrinário da CPAD, membro da Casa de Letras Emílio Conde, mestre em Teologia, graduado em Psicologia, Pedagogia e Letras, membro da diretoria da Global University nos Estados Unidos e autor dos livros “Mensagens, Estudos e Explanações em 1 Coríntios”, “O Calendário da Profecia”, “O Fruto do Espírito”, “A Bíblia: o livro, a mensagem e a história”, “A Prática do Evangelismo Pessoal”, “Verdades Pentecostais”, “A Bíblia através de séculos”, “Crescimento em Cristo” e “Manual de Escola Dominical”, sendo este último o seu maior best-seller, com mais de 200 mil exemplares vendidos. Em outubro de 1997, ele recebeu da Abec (Associação Brasileira de Editores Cristãos) o prêmio Personalidade Literária. É uma das maiores personalidades da literatura no Brasil.

Entre os dias 16 e 18 de novembro, o pastor Antônio Gilberto esteve em Vila Velha/ES, ministrando um Seminário de Escatologia Bíblica, realizado pela Assembleia de Deus Praia da Costa. Durante o evento agendamos uma entrevista, que aconteceu numa sala do hotel onde estava hospedado com sua esposa, na orla da Praia da Costa.

Na segunda-feira, 19, pela manhã, chegamos ao hotel, no horário combinado (Natan, Edenin e eu), e enquanto aguardávamos a liberação da sala, combinamos o tempo da entrevista, algo em torno de 15 minutos, devido aos compromissos do pastor. Mas durou um pouco mais, cerca de 50 minutos! No final, ele agradeceu, e pediu, em um tom extrovertido, para editar e colocar em 5 minutos.  Acompanhou a nossa entrevista, o pastor da igreja anfitriã, Marinelshington da Silva, acompanhado do irmão Alvim, que sairiam em seguida com o pastor Antônio Gilberto para Cachoeiro de Itapemirim, no sul do ES.

Durante a entrevista o pastor citou pontos de sua experiência, para ilustrar e facilitar o entendimento às respostas. Alguns não serão publicados, por questões obvias.  Foram momentos de muita reverência e contrição.

Por Paulo Pontes

Seara News - O movimento neo-pentecostal tem levado as pessoas ao entendimento de que a moda agora é ser pentecostal. O que o senhor diz?

Pr. Antônio Gilberto - O ponto principal está na palavra neo-pentecostal, que é um desvio da doutrina. Se alguém é desse movimento não queira me querer mal, mas o movimento neo-pentecostal ou neo-pentecostalismo, é desvio da doutrina da Bíblia.

A Assembléia de Deus vem entrando nesse campo e aceitando porque nossos queridos pastores – (pastor que eu digo não é ter o título, é o homem conduzir o rebanho. Então o irmão venha entender que eu não estou falando do pastor porque tem o título e a carteira de pastor, mas o homem que Deus colocou à frente do rebanho segundo o Novo Testamento) – não ministra a doutrina. Ensinar, não tem tempo. Eu não estou querendo dizer que o pastor faça isso sozinho, é claro que não faz. Uma igreja quando tem dez membros, quinze membros, o pastor consegue fazer muita coisa, mas quando tem cem, quinhentos, mil, dez mil, é claro que Deus dá para ele uma equipe imensa. Agora eu pergunto: “Quem são esses homens e mulheres que estão ajudando o pastor?” Então, o movimento neo-pentecostal é um desvio da doutrina da Bíblia.

Uma coisa que ajuda na resposta: por que eles se desviaram? – Falta de ensino doutrinário na igreja. É só pular, cantar, falar em buscar o batismo, falar em línguas, etc. E a doutrina bíblica que é a doutrina que equilibra? Então oremos para que eles voltem.

Nós estamos entrando pelo mesmo caminho, porque o movimento neo-pentecostal, do dia para a noite, enche os templos. Mas encher de quantidade, não é encher de qualidade! Deus quer o templo cheio! Mas, como é que um templo se enche pela quantidade? Através da conversão! E como é que um templo se enche através da qualidade? Pelo discipulado! Mas vejamos, nós não temos tempo para ministrar discipulado. O rebanho cresce e muita gente pensa que discipulado é ter um grupo de pessoas que se reúnem certos dias, mas discipulado, aquele que Jesus disse “ide e fazei discípulos”, é algo maravilhoso. Então nós temos milhões e milhões de abandonados, crianças abandonadas nas igrejas (criança que digo, é no sentido espiritual). Fala-se tanto, a prefeitura, Vila Velha, o Brasil, “menor abandonado, menor abandonado”, e na igreja menor abandonado é uma coisa horrível (menor abandonado que eu digo, é na fé). Os irmãos se recordam daquele brado do salmista Davi quando disse “ninguém cuidou da minha alma”. Aquilo dói na alma da gente. Como é que Davi escapou? “Ninguém cuidou da minha alma”. Então, do lado de cá nossa culpa é ministrar a doutrina, porque é difícil, é difícil. A doutrina todo mundo sabe que não é fácil. Não existe uma só doutrina organizada, catalogada como de A a Z, mesmo a mais simples, desdobrada, ou seja, é preciso à pessoa com graça, unção e sabedoria, coligir, reunir, orar, jejuar e horas e horas a sós com Deus. Então o resultado está aí, o movimento neo-pentecostal ganhando tempo em nosso meio, e nós da Assembleia de Deus (a Assembleia que eu digo é a igreja ortodoxa) acabamos sofrendo com isso.

Então essa a minha resposta pode ajudar o irmão depois a passar um filtro, mas, neo-pentecostal (nome bonito: neo-pentecostal) movimento pentecostal novo, nada, desvio! Eu inclusive tenho dado aulas lá a pedido deles, pelo menos lá no Rio de Janeiro, ministrando estudos algumas vezes, mas é difícil devido o tempo. São pessoas conhecidas. Mas nós estamos absorvendo, ou seja, no passado, vinte, cinquenta anos atrás, eram eles que vinham a nós pedir ajuda, batistas que eram batizados, presbiterianos que recebiam o batismo, hoje somos nós que vamos beber lá. Deus tenha misericórdia de nós. Os irmãos não pensem que eu estou dizendo que a Assembleia de Deus é a única igreja certa, a Assembleia de Deus não é uma igreja, é uma denominação. Igreja que eu estou falando é a igreja do Novo Testamento, lá de 1 Co 12.

Seara News – Renovação e Inovação são palavras parecidas, mas com significados diferentes dentro da visão pentecostal. Qual a correta definição dos termos, para esclarecimento da nova geração de obreiros, líderes e crentes em geral?

Pr. Antônio Gilberto – Eu confesso, não é correto dizer isso, “dentro da visão pentecostal”, eu sugiro que esse termo seja trocado. Não existe visão pentecostal, existe visão escriturística dentro da visão pentecostal. Irmão Gilberto, por quê? Porque a igreja do Deus vivo, a igreja dos primogênitos, é aquela de Atos capítulos de 1 a 28. Igreja do Senhor.

Por que chamam a gente de pentecostal? Devido o fato de Deus ter despertado a igreja lá pelo século XVIII e XIX, e começou aquele movimento entre os metodistas lá na Inglaterra, depois passou para a América, em 1850, 1870 e foi aumentando, em 1880 eles começaram a jejuar e sentir fome de mais poder e quando o século virou Jesus começou a batizar entre os metodistas. Era coisa nova, batizar, batizar, como é que vamos chamar? Chamaram primeiro de Movimento da Santidade (Holiness Movement) e etc. Até que em 1901 começou a formar um grupo e depois surgiram outros (Apóstolos da Fé). Mas isso é coisa local, em Atos dos Apóstolos é a Igreja como tal.

Prosseguindo, renovação e inovação são termos opostos. Renovação (renovação é claro, espiritual) é a pessoa ser libertada por Deus (Deus usa os instrumentos que Ele quer) e a pessoa buscar o cristianismo bíblico. E onde está esse cristianismo bíblico? No sentido público, de Atos 1 a 28. Graças a Deus pelo livro de Atos. E daí para frente lá se vai principalmente de Romanos até o livro de Judas. Então renovação é algo maravilhoso. Renovação é para quem envelheceu, caiu na rotina, o que é um perigo. Nossos irmãos batistas, presbiterianos, são uma benção de Deus, a gente os ama, mas o que aconteceu com eles, coitados? Rotina, eles caíram na rotina. Quem é que aguenta rotina? Feijão com arroz todo dia, arroz com feijão todo dia, rotina. Não, rotina não minha gente! Então, renovação, todo crente normal precisa viver uma vida renovada. Por que irmão Gilberto? Porque envelhece, espiritualmente falando. E como que acontece isso? O Espírito Santo tendo predominância. E inovação? A inovação, Deus nos guarde! Inovação são modismos descabidos, que surgem na pessoa, passam para a família, passam para a igreja. Por causa de que? Falta de conhecimento doutrinário ungido da parte de Deus. Porque a doutrina é viva, a doutrina tem poder vivo. Então a doutrina é a base fundamental da igreja. Naquela manhã que estivemos junto com os colegas lá no templo, eu li Atos 2.42, bem no princípio do livro de Atos: “e perseveravam na doutrina”. Muita gente pensa que doutrina é conversa fiada, quando o termo que está ali, o termo que o Espírito Santo usou (que às vezes é traduzido diferente) é conteúdo bíblico normativo, conteúdo bíblico normatizador. Pronto, eu estou de parabéns, é isso que eu preciso! Eu preciso, usando uma linguagem secular, de um estatuto, um regimento interno, usando uma linguagem figurada, como é uma empresa, um estado, um país, constituição. Então o que é doutrina? Doutrina é um ensino bíblico normatizador. Nem para a direita nem para a esquerda, sempre permaneciam perseverando na doutrina dos apóstolos. É uma pena que aquilo não continuou. Os irmãos se lembram de que a igreja de Corinto se desviou, inclusive deu problemas, problemas, problemas, e quando chega ao capítulo 15 o que Paulo diz? Muitos de vocês não são salvos. Está lá escrito, infelizmente muitos de vocês não são salvos. Mas não é novidade, porque o Senhor Jesus…, se lembra de João capítulo 2, quando Jesus disse: eu não confio em vocês, vocês estão crendo naquele milagre que aconteceu em Caná, mas não confio. O próprio Jesus não confiava neles, está escrito. E eram crentes. O próprio Jesus não confiava neles, é uma pena! Então, a doutrina é a chave. Agora, é claro, a doutrina não é feito um “b – a – bá”. Mas a doutrina é ungida, a doutrina é inspirada pelo Espírito Santo, tem poder.

Então, renovação, Deus envie sobre nós, busquemos a renovação. Agora inovação, Deus nos guarde. Sim, mas lá, do dia pra noite enche. Encher de quantidade não é encher de qualidade. Deus conta primeiro não é com quantidade. Quantidade é uma benção. Não sou contra! Quem é contra isso? Mas quantidade com qualidade!

Irmão Gilberto, como é que se enche uma igreja de quantidade correta? Conversão, conversão genuína. E como é que uma igreja enche de qualidade? Conversão com discipulado, ou seja, doutrina.

Seara News – Um assunto polêmico, cujo debate já dura por décadas, é o ministério pastoral feminino. Hoje algumas Assembleias de Deus já reconhecem a ordenação de mulheres. Existe respaldo bíblico-doutrinário para isso?

Pr. Antônio Gilberto – Não, não e outra vez não! Não existe! Ordenação… Mulheres no Santo Ministério, tanto venham. Inclusive muitas vezes elas fazem o trabalho melhor do que os homens. Mas ordenar para o Santo Ministério, não tem base nas Escrituras. E como é que isso está acontecendo? É a igreja a culpada e a igreja vai prestar conta disso. A igreja que eu digo não é a igreja o prédio, os responsáveis vão prestar conta disso. Jesus nunca ordenou mulheres. O apóstolo Paulo que é um paradigma, não separou, nunca ordenou mulheres. Agora, mulheres trabalharem no Santo Ministério, tanto venham. Cantoras, professoras de escola dominical e etc. Mas irmão Gilberto, e diaconisa? Lá no livro de Romanos o apóstolo Paulo disse que aquela irmã era diaconisa na igreja de Cencréia. Onde está isso no original? Não existe! Sim, mas o comentário que eu li diz que era diaconisa. Conversa! No grego está na forma masculina, ou seja, Paulo deixou aquela mulher ali provisoriamente, ou então o trabalho era novinho e não tinha homem nenhum para exercer o diaconato, ele disse vem cá “fulana” (Febe), faz o trabalho aqui, a obra de Deus não pode parar por causa de problema humano. Está no masculino.

Uma vez um pastor presidente de uma grande e renomada convenção, nós estávamos juntos em Goiânia ministrando, e ele no hotel conversando comigo, disse: “estou agora na presidência, vou incentivar, irmão Gilberto, o diaconato das mulheres que está praticamente parado. O que o irmão diz?”

– Eu prefiro primeiro que o senhor que é o chefe, me dê alguma coisa.

Ele disse: “eu me baseio lá em Rm 16, Febe, aquela irmã que era um tesouro na igreja de Cencréia (inclusive quando os irmãos forem a Grécia visitem as ruínas de Cencréia. Eu fui lá visitar, só tem ruínas, e eu fiquei pensando onde é que ficaria aqui a casa dela, porque tudo indica que era uma mulher de muito dinheiro. Paulo disse: “ela me hospedou muitas vezes, e hospedou a muitos”), que era diaconisa, a Bíblia em português diz: que serve ao Senhor na igreja de Cencréia, outra versão que eu tenho diz que ela servia como diaconisa”. Eu me calei, e ele disse: “uma segunda passagem, irmão Gilberto, que eu tenho em mente é lá em Timóteo quando a Bíblia diz: e as mulheres…”

Eu disse: Pastor, a passagem de Romanos no original está no masculino, pode pegar qualquer manuscrito bíblico. Ou seja, ou o trabalho era novinho e não tinha homens habilitados, e o apóstolo Paulo um homem cheio do Espírito Santo, a obra de Deus não ia parar por causa de problema humano. Vem cá, Febe, exerce aqui enquanto não se prepara um homem, ou então não sei a razão, a Bíblia não explica, mas está no masculino.

“E lá em Timóteo?”

Pode pegar o termo original que a oração no grego pára, e quando diz as mulheres, são as esposas dos obreiros. Ele parou, e parou até hoje.

Voltando a pergunta, o que o irmão diz disso? É anti-bíblico. E o que fazer? Quem estiver fazendo vai prestar conta a Deus. Mas infelizmente não é só ordenação de mulheres, é muita coisa que a igreja decide por ela. Eu podia fazer menção aqui, não vou, não há necessidade. Para ninguém pensar que é só esse fato: São várias coisas que a igreja faz sem ter… Por exemplo, há igrejas que só separam (consagram) obreiros para o diaconato se forem casados, não estou criticando a igreja local, há igreja que só separa (consagra) casados, porque o escândalo está sendo grande de obreiros solteiros. Enfim, a igreja que tomou a decisão, não é a Bíblia.

Batismo em águas: tem igreja que a pessoa se entregou pra Jesus, foi perdoada ali mesmo, foi convertida, batiza na água. Tem igreja que diz: “Não, aqui pra ser batizado tem que fazer um cursinho”. Lá na minha igreja, por exemplo, tem um cursinho de três meses, onde está isso na Bíblia? Lugar nenhum. É a igreja que decide!

Realização de matrimônio, esse caso é mais um, só que este é grave.

Então, em resumo, não tem base na Escritura, nem no Antigo, nem no Novo Testamento. Deus quer a mulher no ministério, quanto mais, melhor, para muita tarefa. Mas ordenação para cuidar do rebanho Deus reservou para o homem. De modo que esse negócio está dando problema. E os que estão na Assembleia de Deus? Vão prestar conta a Deus! Vamos brigar com eles? Deixa pra lá, vão prestar conta a Deus! Esse é que é o problema, a Bíblia diz cada um de nós. Eu vou dar conta e os irmãos vão dar conta também. Se o Tribunal de Cristo fosse coletivo…, mas a Bíblia diz cada um. Então nós temos que pensar nisso.

Seara News – Qual o posicionamento do pastor diante das mudanças dos crentes na conjuntura sociológica na pós-modernidade?

Pr. Antônio Gilberto – Em primeiro lugar, o que é pós-modernidade, no sentido bem popular? É o predomínio do humanismo, (não estou falando de humanitarismo, estou falando de humanismo). E o que é humanismo em filosofia? É o homem ser o centro e Deus jogado fora. É isso que o mundo, inclusive o Brasil vive. E como começou isso? Começou há décadas, logo depois da Segunda Guerra Mundial. Então não é o humanitarismo, porque este é uma coisa maravilhosa, eu estou falando de humanismo. E o que é humanismo, onde está na Bíblia? 2 Timóteo 3, está bem claro isso lá, como sinal da vinda de Cristo. O homem passa a ser o centro de tudo e Deus na periferia jogado fora. E pode ver, a sociedade chegou nesse ponto. Nem na igreja Católica, eles vão à missa só pra marcar ponto, nem sabem quem é o vigário, acabou. A igreja Católica hoje vive somente de forma.

Então qual o posicionamento do pastor diante das mudanças dos crentes na conjuntura sociológica na pós-modernidade? Pós-modernidade é um movimento filosófico de inspiração satânica que começou logo depois da Segunda Guerra Mundial, por volta do ano de 1947.

E qual é a filosofia? O homem é o centro de tudo. Pode-se ver, colégio, faculdade, fábrica e tudo. E Deus? Jogado fora, nem é mencionado.

E no passado? Não, no passado pelo menos em teoria, hoje nem em teoria. E o que é que diz a Bíblia lá nas epístolas? Moralmente o mundo irá de mal a pior. Tecnicamente não. Quem é que não sabe que tecnicamente o mundo está se tornando uma maravilha? São satélites, computadores, é uma benção. Mas moralmente, irmãos queridos, não vai mudar, vai piorar. Mas essa nova geração, e escola, e programas do governo, as associações? Não dá em nada, a Bíblia diz, irá de mal a pior. Em que sentido? Moralmente. Graças a Deus que a igreja está na terra pregando o Evangelho, só que a igreja tem que tomar cuidado pra se manter renovada, e isso custa um preço porque o humanismo, ou seja, o pós-modernismo tomou conta da sociedade e principalmente da juventude. Deus tenha misericórdia da juventude! O irmão Edenin Pontes Neto tem 22 anos, essa idade é difícil. Então um jovem como o irmão, na igreja, devemos levantar as mãos não sei quantas vezes para o céu e louvar a Deus.

Quando eu estive na Escandinávia, pouco tempo em viagem de pesquisa, mas ninguém sabia, os irmãos sabem que foi a Escandinávia que evangelizou a América do Sul, muita gente pensa que foi só o Brasil, na época eles mandaram missionários também para a Argentina, Peru, Chile, Colômbia, nós somos brasileiros destacamos o Brasil. Os irmãos sabem disso, que vieram da Escandinávia, da Suécia, da Finlândia, da Noruega. E vejam, claro que eu estou repartindo isso porque os irmãos são obreiros, se fossem novos convertidos eu não compartilharia isso. Na nossa despedida lá, o pastor da Igreja Filadélfia, pastor Scott, nome bem difícil dele, um pastor ainda bem jovem, disse:

“irmão Antônio Gilberto, eu gostaria de saber como será sua volta”.

Eu disse: “eu tenho que pegar um vôo às 16 horas para Berlim e preciso estar liberado, enfim, até a hora do almoço”.

Ele disse: “Olha, eu vou convocar hoje à noite, domingo, o ministério pra uma despedida, com um café, uma palavra da parte do irmão”.

Eu falo um pouquinho de sueco, era pra falar melhor, mas a gente perde o controle. O sueco é muito parecido com o inglês, o finlandês é mais parecido ainda. Bom, veja só o que aconteceu: no momento certo eu estava numa sala muito bonita, aproximadamente uns 60 homens e mulheres, diáconos, etc. Eu compartilhei um texto bíblico, ele apresentou os obreiros que eram obreiros-chave, logo em seguida ele disse:

“Meus irmãos, o irmão Gilberto ele precisa se organizar para viajar, agradeço os irmãos por terem vindo, tiramos foto, agora eu dispenso os irmãos, por favor, deixem o recinto calmamente”.

Ele chegou pra mim e disse:

“Irmão Gilberto, eu preciso, eu e minha esposa que está aqui, ficar alguns minutos com o irmão antes do irmão ir para o hotel”.

Então os obreiros se despediram, nos abraçamos ali, tiramos fotos e foram embora. Logo que saíram, ele disse:

“Vamos para o meu gabinete”.

E quando chegamos lá no gabinete ele disse:

“Olha irmão Gilberto, fomos nós”. Ele disse isso com os olhos lacrimejando e com a voz embargada.

“Irmão Gilberto, o irmão bem sabe que fomos nós que no século passado, a Escandinávia, principalmente a Suécia, que Deus abalou o país, batizou com o Espírito Santo levantou aquela igreja poderosa e uma das primeiras coisas foi mandar missionários, e missionários para o Brasil, Daniel Berg e Gunnar Vingren e dezenas de outros”.

Deus os abençoou que levantaram aquela obra no Brasil e depois vieram os missionários americanos, enfim. Aquilo me doeu. De fato nós estamos pecando.

Ele disse isso comovido:

“A gente nota irmão Antônio Gilberto, ida e volta de obreiros do Brasil pra América, para o Canadá e nós aqui abandonados”. Então com lágrimas nos olhos ele disse: “Venham nos socorrer!”

Aquilo me doeu, eu não agüentei e chorei também. “Venham nos socorrer!” Mas, meu irmão em que sentido?

Ele disse: “Jejuem por nós, jejuem por nós, morram por nós num certo sentido”.

Está difícil a situação na Escandinávia. Agora o pós-modernismo está uma maravilha lá, entre aspas. Então, irmãos, significa que Jesus está voltando. Isso serve para gente botar as barbas de molho.

Seara News – Há uma afirmação de que a igreja evangélica brasileira está cansada, o que ocasiona mudanças de paradigmas em relação aos modelos tradicionais, e leva muitos crentes ao abandono do convívio fraterno, substituindo-o por um modelo de vida cristã alternativa. Como o senhor avalia essa situação?

Pr. Antônio Gilberto – Falta de um avivamento espiritual de acordo com o livro de Atos. Vamos buscar um avivamento de acordo com John Edward? Não! Vamos buscar um avivamento de acordo com “Fulano de tal”? Não! Um avivamento segundo o Livro de Atos do Apóstolos!. Aonde? Capítulo 2, 8, 13 e 19, o livro de Atos. E aquele avivamento de John Edward? Aquilo foi para aquele tempo. Não vamos copiar modelo dos outros. Então a resposta aqui é uma só: um avivamento! Agora, um avivamento com base na doutrina, se não ele pode descambar para a direita. Os irmãos já notaram que sempre que a Bíblia previne sobre desvio, e não tem nenhum texto contrário, sempre que a Bíblia alerta sobre desvio, cuidado com o desvio para a direita e depois para a esquerda?

A Bíblia nunca diz primeiro para a esquerda. Nós fizemos um levantamento criterioso disso à luz do texto original e só tem 11 vezes na Bíblia. Só tem 11 vezes Deus dizendo: cuidado com o desvio para direita e depois para esquerda. Deus nunca diz primeiro esquerda. Não!

E o que é desvio para direita? Desvio para o lado certo, ou seja, exagero, fanatismo, torcer a verdade bíblica, pegar as escrituras e adulterar. Isso arrasa a igreja. Nós estamos tendo essa dificuldade. Essa igreja que eu fui ministrar lá no RJ, neo-pentecostalista, meu Deus! Desvio total. Eu estava ministrando, já do meio para o fim do estudo bíblico, quando um homem se levantou no auditório, começou a pular e profetizar. O pastor que me convidou disse: “irmão Gilberto, me dê licença”. Pegou o microfone e disse: “irmãos diáconos vão lá e mandem esse homem parar!” Os diáconos correram lá e o homem se revoltou, inclusive pegou uma cadeira, levantou e pulou com a cadeira. Aí uma irmã se levantou e disse: “é o espírito, é o espírito!” O pastor disse: “Mas não é o Espírito do Senhor!”.

Olha, levaram uns 5 minutos para ele acalmar. Arrancaram o homem e o levaram de quatro pés lá para o lado de fora. Avivamento… Levaram o homem de quatro pés, seguram nas duas mãos e nos dois pés. E a irmã? Disse o pastor: “Diaconisas venham depressa!”

As irmãs vieram, seguraram a saia dela, saia muito curtinha, e a levaram de quatro pés lá para não sei aonde.

Avivamento… Devido o que? Desvio para direita. O desvio para direita é pior que desvio para esquerda.

O que é desvio para esquerda? Desvio para pecar. Esquerda é o lado do erro. Deus nunca diz: Cuidado com o desvio para esquerda e depois direita. A Bíblia sempre diz… Se lembram de Josué? Josué, não te desvie nem para direita nem para esquerda. Então nós temos que ter cuidado com isso, avivamento é uma benção de Deus, mas um avivamento bíblico, se não pode desviar para direita.

Seara News – O senhor afirmou, durante o seminário, que a família está fragilizada. Qual a conseqüência disso para a igreja e como revitalizar a família?

Pr. Antônio Gilberto – Os irmãos sabem o que é fragilizada? É uma coisa que se quebra com facilidade. Se não for dado um jeito nisso, ele se fragmenta. A família dentro da igreja – fora da igreja, Deus tenha misericórdia – está fragilizada. E qual é o passo seguinte se não houver uma providência Divina? Fragmentar a família. Sabe o que é fragmentar? Virar pedaços. E o qual é o terceiro passo? Ruína. Onde está isso na Bíblia? Lucas 17, quando Jesus alertou. E onde está mais sobre isso? 2 Timóteo 3, está bem claro isso. Lá no final diz: “proibindo o casamento”. Então a igreja vive este tempo, ou seja, em suma, busquemos a renovação, busquemos o avivamento.

Agora, doutrina é a chave: “permaneciam na doutrina dos apóstolos”. Então, os irmãos sabem que isso dói, porque a família é sagrada. Meu Deus, a família é a chave de tudo. De onde vem o governo? De onde vem o município? De onde vem o operário da fábrica? De onde vem o membro da igreja? De algo maravilhoso chamado família. E quais são os dois esteios da família? O marido e a mulher, a mulher e o marido, são os esteios.

Seara News – O que o senhor diz da igreja brasileira em face da atual política governamental?

Pr. Antônio Gilberto – Voltar ao Livro de Atos dos Apóstolos! Como assim? O livro de Atos está repleto de políticos, mas fora da igreja. Nada de mandar na igreja. Lá está o nome de Cláudio, lá está o nome de Festo, lá está o nome de Herodes, o nome de Agripa. Todos eles eram grandes políticos, mas nada de se meter na igreja, ou seja, não deve haver intervenção, intromissão com político e político na igreja pra mandar. O livro de Atos está repleto de políticos, só que no seu lugar e a igreja no lugar dela. Hoje em muitos lugares estamos vendo a mistura. O livro de Atos é o nosso modelo. Lá está Cláudio, César, está Festo… Inclusive o caso de Festo! Por falar nisso, irmãos, é uma coisa terrível, porque ele veio com Berenice, quando veio para comparecer diante de Paulo. Ele veio com sua esposa Berenice. Os irmãos sabiam que Berenice era irmã carnal dele? Vejam como estava o mundo romano! Berenice era irmã carnal e ele vivia com ela e ela com ele como marido e mulher. É pavoroso! A Bíblia não diz isso porque a Bíblia não tem nada haver. Mas quando o irmão pesquisa nos anais, como eu pesquisei em Roma… Irmãos carnais, ele largou a mulher com quem ele tinha casado e se juntou com a própria irmã e apareceu perante Paulo. Terrível, terrível!

Voltando a pergunta… Políticos na igreja? Bendito seja Deus. Nos cultos, como membro da igreja, tudo bem, agora se imiscuir, não, não, não!

Para ilustrar isso aqui, quero mencionar que eu tive um convite, muito honroso de ministrar para os executivos da grande empresa de cimento, a Votorantim. Os irmãos sabem que a Votorantim é uma potência, aqui no Espírito Santo deve ter sucursal, escritório. A Votorantim é magnata, imaginem o privilégio! Eles mandaram um ofício para a Convenção Geral e caiu nas mãos do Pr. José Wellington, nosso presidente, para ele designar alguém para ministrar numa palestra religiosa de 50 minutos, na reunião nacional dos executivos, numa cidade do Rio de Janeiro chamada Friburgo, onde fica uma das grandes fábricas deles. O irmão Wellington ligou pra mim, eu disse: “irmão Wellington por que o senhor não vai?” Ele disse: “Eu não vou nada. Gilberto, você aceita?” Eu disse: Só se eu receber pormenores e o senhor orar por mim. Ele disse: “A gente ora!” Concluindo, eu aceitei e então o secretário da empresa entrou em contato comigo e disse: “A primeira coisa que pedimos, por obsequio, é o senhor enviar o seu currículo, é norma”. Está bem, eu não gosto de mandar para ninguém, mas eu envio. Eu enviei meu currículo. Ele disse: “Segunda coisa, desde agora o senhor está com motorista e carro a sua disposição, é seu. Se o senhor quiser vir de helicóptero, nós temos, pegamos o senhor, levamos em casa. Mas se o senhor quiser vir de avião, daqueles jatos de dois motores, aqui tem aeroporto, tem tudo. O senhor pode trazer sua família. E outra coisa, o senhor quer hotel de cinco, quatro ou três estrelas?” Eu disse que não faço questão de estrelas, contanto que seja bonzinho. Resultado: fomos lá para a reunião e quando completaram os 50 minutos, o mestre de cerimônia me chamou a parte e disse: “O auditório está pedindo se o senhor pode prorrogar meia hora mais?” Eu fiquei surpreso. Ele disse: “O auditório está pedindo se o senhor pode prorrogar a palestra por mais meia hora?” Eu disse: Poder, eu posso. Mas eles não vão se cansar? Ele disse: “São eles que estão pedindo! Segundo, o auditório, os executivos estão perguntando se é o possível o senhor responder perguntas?” Eu disse que perguntas já é fórum, e o convite que eu tenho aqui é uma mensagem religiosa. Ele disse: “Está certo, deixe comigo que eu dou a resposta para eles”. Eu digo então, perguntas já é um fórum, eu não me nego se eu souber, mas misturar… Ele disse: “Está certo, o senhor é pastor, deixe comigo”.

Voltando… A que ponto quero chegar? Quando terminou tudo, foi servido um coquetel. O executivo chefe me chamou num canto e disse: “Isso aqui não é um pagamento, ao contrário, isso aqui é um honorário”. Foi uma benção de Deus, Yolanda pulou de alegria. Porque foi um bom dinheiro e eu estava com alguns problemas de aperto financeiro, inclusive um seminário que eu precisava participar na Alemanha e a coisa estava feia, porque a moeda de lá é o Euro e o Euro não é fácil, dói na gente, pois a gente pega um tanto de Real e quando cambia fica pouquinho… Eu agradeci. Aí ele já veio para o lado de fora, com a cúpula dos executivos e disse: “Senhores executivos, setor do Maranhão, setor gaúcho, etc. Senhores executivos, ouçam bem o que nós vamos dizer agora. O reverendo já está saindo, indo embora. Os senhores se lembram de que até agora quem fazia esse trabalho era padre. Todo ano vinha um monsenhor ou um bispo, só, reverendo, que eles só falavam aqui de política. Só vinham falar de política e filosofia. Chega! Política nós temos, filosofia nós temos. Aqui está o doutor ‘Fulano’ que é catedrático de ‘não sei do que’. Reverendo, não dá! Então nós resolvemos mudar agora e chamar um pastor”. Eu digo, como é que estão as coisas na face da terra? Incrédulo mudando. Eu digo, gente isso é uma lição para nós. A gente às vezes não quer mudar nada quando é hora de mudar. Ele disse: “Resolvemos mudar, porque todo ano é um bispo, um arcebispo, um monsenhor. Só reverendo, que ultimamente eles só vinham falando de Planalto, Brasília, ONU, política, etc. E nós queremos é alguma coisa para nossa alma!” Eu lá dentro de mim eu dei um glória a Jesus e ainda falei algumas línguas em segredo, eles viram os lábios se mexendo, mas eu segurando as línguas ali no espírito. E de fato, este ano o convite foi feito para a igreja presbiteriana e quem foi lá este ano foi o reverendo Estevão. Mas vejam como que está o mundo, o mundo pedindo socorro à igreja. Agora eu pergunto, nós temos o pão pra dar? Graças a Deus!

Seara News – Que mensagem o senhor deixa para os crentes capixabas, diante da crise de identidade vivida nos últimos dias?

Pr. Antônio Gilberto – A última mensagem que deixo é que nós precisamos realizar retiros espirituais, realizar reuniões da porta para dentro das igrejas, só para o rebanho do Senhor, para essa finalidade de oração, de estudo da Palavra, de concentração com o fim de buscar de batismo com o Espírito Santo. Mas batismo genuíno! Pois muita gente não busca porque acha que não precisa, quando o batismo com o Espírito Santo, os irmãos sabem, que é uma dádiva tão preciosa que Jesus disse para ficar lá até receber. Mas também quem é batizado, renovar-se, renovar-se, renovar-se! É a nossa mensagem. É a mensagem de Atos. Renovação, renovação espiritual. E concluindo, eu deixaria também para o programa, em Romanos 15.29, onde Paulo disse: “eu vou a vocês, até Roma, só que eu vou pregar o evangelho completo”. Ou seja, que Jesus salva, que Jesus cura, que Jesus batiza, que Jesus renova, que Jesus vem outra vez. Ele disse, “eu vou a Roma sim, só eu vou levar o evangelho pleno”.

Que Deus nos conceda viver o evangelho pleno. Em Romanos 15.29 ele disse: “Eu vou a Roma levando o evangelho pleno”. O evangelho que não é pleno, ele é uma benção, ele abençoa. Mas o evangelho pleno, ele é maravilhoso.

Seara News – Quem é o pastor Antônio Gilberto?

Pr. Antônio Gilberto

Pr. Antônio Gilberto – Sou membro da Igreja Assembleia de Deus no Brasil (em Cordovil/RJ). Pela graça de Deus, salvo por Jesus. Ele por sua graça, além de me salvar, me trouxe para o Santo Ministério e nele tem me usado. Mas toda honra, glória, louvor e mérito é dEle e só dEle. E por sua graça Ele também me deu uma esposa (Irmã Yolanda) paciente, compreensiva, que coloca o ombro debaixo da carga e geme sozinha. Eu chego muitas vezes, às vezes a noite eu venho de certos compromissos, lá está ela sentada ou ajoelhada ou em pé orando, orando, orando. Portanto 75, 80, 85 por cento do que eu faço para Deus, eu devo a Deus através dela. Mas eu sou um servo, os irmãos sabem que duas maravilhas na vida do crente, duas grandes maravilhas, é que o crente primeiramente é filho. Filho de Deus só tem um tipo, ou a pessoa é ou não é. Não existe neto, Deus não tem neto. Deus só tem filhos. E em segundo lugar, servo. Filho de Deus só existe um tipo. Mas tem muito tipo de servo, inclusive tem o servo mal e lá no livro de Isaías 42 tem servo cego. Meu Deus! Está lá escrito. Então Deus tem tido misericórdia e nos tem feito filho e servo.

Algumas outras coisas que são seculares, que qualquer pessoa tem. Algumas faculdades. Alguns idiomas. Mas isso é coisa normal que todo mundo pode fazer. Mas a grande maravilha é que eu sou filho, como os irmãos também são filhos. Não são netos, nem afilhados, filhos de Deus! E a maravilha? Ser servo!

Eu agradeço esse privilégio da entrevista e lhe peço o obsequio do irmão editar e, por favor, coloque isso em cinco minutos. (rs) – “As perguntas são muito bem feitas, muito abrangentes. Cada pergunta dessas merecia uma entrevista à parte”. Pr. Antônio Gilberto

Por Pr. Paulo Pontes / Seara News
Obs.: É permitido a copia para republicações, desde que cite o autor e as respectivas fontes principais e intermediárias, inclusive o Seara News informando o link www.searanews.com.br. Mais informações em nossa página: “Jurídico”.

Sobre Paulo Pontes

Paulo Pontes
Idealizador e diretor da Seara News Comunicação. Editor da Revista Seara News. Jornalista MTB 3437/ES. Cidadão Vilavelhense, sendo natural de Magé/RJ. Pastor, filiado à CADEESO e à CGADB, é escritor, pregador, palestrante, conferencista, com formação em teologia pastoral; e doutor 'honoris causa' em teologia catequética; coordenador do curso de teologia da Uniest.

41 comentários

  1. Ev. Luis Fernando Ferreira

    A palavra expressada por esse servo de Deus tem muito peso, sobre muitas vidas e famílias no Brasil e no Mundo. Pr. Antônio Gilberto respondeu às perguntas da reportagem de Seara News sabiamente, direcionado por Deus. Por isso que é considerado por todos os crentes verdadeiro como “Bíblia Andante” do nosso tempo. Que maravilha ter um homem como esse, como nosso irmão em Cristo. Fico honrado de tê-lo como referência de nossa igreja no mundo, tanto secular como evangélico.

  2. Pb. Rodrigo Azevedo Gomes

    Pr. Antônio Gilberto, um verdadeiro homem de Deus,que prioriza a sã doutrina. Um exemplo para nós, obreiros que estamos começando. É um homem muito sábio! Parabéns ao Pr. Paulo Pontes pela entrevista, que com sabedoria fez excelentes perguntas ao nobre Pr. Antônio Gilberto.

  3. Li a entrevista e não fiquei surpreso pela qualidade e maestria de quem respondeu. Estou falando do Pr. Antonio Gilberto que já é por nós conhecido. Sua sapiência, eruditismo teológico, é um bibliólogo, é um conhecedor profundo dos aspectos doutrinários da Bíblia Sagrada. Foi o editor-chefe da Comissão editorial da Bíblia de Estudo Pentecostal (cpad).

    Quero parabenizar toda a equipe da SearaNews, liderada pelo Pr. Paulo Pontes que formulou perguntas inteligentes e atuais, sendo respondido com temperança por um grande mestre da nossa teologia.

  4. Pr. Cristiano Costa

     

    Os irmãos das igrejas Assembleias de Deus no Espírito SANTO, com tremor e temor no senhor que escrevo este comentário, listando todos os pecados cometidos pela igreja católica que sempre julgamos e condenamos veementemente de púlpito, estamos caindo na balança do senhor, com a mesma medida seremos julgados… Primeira delas é a idolatria aos santos da igreja católica, não esta hoje Assembleia de Deus com o mesmo pecado? Quando tiramos do altar os santos de barro e colocamos os santos de carne e osso para serem venerados, adorados diferenciados como que tenham privilégios mais que os demais, quando deveriam esses santos servir, e não focar em serem servidos desejando tempo todo o lugar do pastor que com as mesmas palavras e jargões de: você pode… você vai chegar lá… seu inimigo vai te ver triunfante… e frases como essas, motivações erradas que levaram pessoas a quererem ser obreiros honrados pelos homens e não pelo serviço prestado a comunidade, presentes (consagrações) dadas por homens e não por Deus. Quantos ótimos diáconos perdemos para ganharmos péssimos presbíteros… Numa ascensão louca na busca de poder ministerial… fomos de um extremo ao outro, do barro católico pro “eucentrismo” Assembleiano. Tem tbm a “eucracia” onde os donos das igrejas não permitem mais a ação de Deus se não for controlada por eles! A idolatria a homens e pior do que a dos santos de barro. Sem contar com outros inúmeros julgamentos que fizeram nossos pais da idolatrada assembléia e os que hoje ainda existe, “igreja católica não prega a verdade” com esse depoimento que li do doutor acima, só confirma que a balança de Deus pro lado dos assembleianos pesou e muito… Não vamos cair no erro do passado em julgar agora o neo-pentecostalismo, na busca de vermos dias ou ovelhas lucrativas de volta os nossos rebanhos… É tempo da LIDERANCA da igreja Assembléia de Deus se arrepender do erro do julgamento do passado e do presente, para que o futuro não seja esquecido por Deus. Quando pregamos a palavra, ela por si só, se encarrega de doutrinar as pessoas, mas quando a palavra de Deus vem recheada de intenções para manipular pessoas por causa do bolso delas ou por causa da influência idolátrica, então deixa de ser palavra de Deus. Que o maior entre vos, seja o servo de todos!

    Que Deus tenha misericórdia de nós, quando não tivemos ou quando não temos do próximo! Quem comigo não junta, espalha! Diz o mestre!

    Paz do Senhor.

    Pr. Cristiano Costa, Irlanda

    • Pr. Cristiano Costa, não entendi a sua colocação, pois as palavras do Pr Antonio Gilberto foram todas balizadas na Bíblia, e os comentaristas honraram e não idolatraram ele. Com relação aos neospentecostais ele não os ofendeu, apenas citou Atos 2, tem outro texto melhor? Seu comentário me deixou com a impressão que o senhor Pr. Cristiano Costa tem algo contra as Assembléias de Deus, se for isso perde o seu tempo pois a AD é praticamente uma igreja local, no máximo estadual.

      • Pr Cristiano Costa

        Caríssimo Trindade só agora pude ver vosso inteligente comentário pois nele contem informações que falaram ao meu coração como direito de interagir com sr e vossa forma pensante de ser e defender nossa denominação que hoje e uma das maiores do mundo em termos de numero de membresia, entendo que cada igreja tenha uma direção local no máximo estadual, porem o que não posso deixar de expressar e que os ensinamentos (lista do julgo) o que e bom ou mau aos olhos de Deus, transpõe barreiras localizacionais ou ate mesmo administração do santo oficio no que tange a impressão de aceitações ou recusas do que chamamos de doutrinas, ou ensinos… no qual continuo afirmando que nossa amada Assembleia de Deus na sua grande maioria, forma pessoas para serem servos na busca do senhorado em detrimento de si mesma, onde muitas dessas cituações ultrapassam um simples dar “honra a quem tem honra” levando assim para um patamar pouco falado mais bem visualizado, o famoso “olhe a minha posição veja a sua” o que faz também os santos de barro serem diferenciado dos demais pobres seres humanos. minha critica não foi contra as palavras do doutor Antonio Gilberto em si, mais sim na tentativa generalizada da desconstrução de outros fenômenos Cristãos estarem acontecendo no mundo, como se nosso movimento pentecostal fosse o ancoradouro final das ações divinas do Espírito Santo.
        De forma como que não existisse em nosso próprio meio Assembleiano que tanto amo pessoas que não perceba e critique como fez nosso Senhor dizendo palavras que ate hoje soam com pesar em nossos corações, “Tenho porém contra ti…” palavras essas dirigidas aos responsáveis de trazer justamente as doutrinas que separava a igreja das condições dos pecados humanos conscientemente, de forma que não ficaremos recusados de nossos atos e aceitações que foi concebida pelo poder do sistema, e nascida pelo forca dos nossos desejos internos “ego” denominados que sonda nossa natureza humana por sermos exatamente humanos. Que a paz o amor a Graça do nosso senhor nos conserve, para um dia nos encontramos na eternidade!
        Pr Cristiano Costa-Irlanda

  5. Desde a minha infância frequentando a Escola Dominical, da qual tornei-me professor e superintendente, tenho profunda admiração pelo Pastor Antonio Gilberto. É um dos principais referenciais no meio evangélico e assembleiano sério. O seu preparo intelectual e teológico, aliado à sua seriedade e humildade, fizeram dele um dos pastores mais respeitados do Brasil. Vida longa pastor Gilberto! O senhor é um vaso de honra para o seu Senhor e é um dos principais sustentáculos da CPAD.

    Muitos ‘assembleianos’ da atualidade aderiram ao neopentecostalismo. Continuam dentro das Assembléias de Deus, talvez pelo prestígio que ela ainda tem. Porém, em suas ‘pregações’ a ênfase é a teologia da prosperidade, a confissão positiva (profetizo, declaro, ordeno, determino isso-e-aquilo), unção (sem saberem o que isso realmente significa) revelamentos e profetadas. Estão ungindo até a Bíblia com óleo e fazendo campanhas ‘fortes’ de sete sextas-feiras. Esse tipo de crente não conhece e nem pretende conhecer o Pastor Antonio Gilberto. Se o ouvirem pregar, chamá-lo-ão de ‘geladeira’, frio e sem unção.

    O Pastor Antonio Gilberto deveria ser no mínimo, Presidente do Conselho de Doutrina da CGADB e ter poder de veto a algumas publicações. Poderia também se eleito Presidente da CGADB.

  6. Olá, já mudei o titulo da sua matéria no meu site. Mas quero deixar bem claro que há uma ética entre os blogueiros de dá a fonte das matérias compatilhadas em seus sites.

    E isso fazemos com louvor. Mas sempre ficou a critério de cada blogueiros colocar o título que quiser contanto que não mude a matéria. Podendo conferir aqui, que não foi somente o site da Rô que mudou o título. Paz seja contigo. Ah, ja levei seu banner. http://pastorguedes.blogspot.com.br/2012/11/pr-antonio-gilberto-esta-certo-em.html

  7. preciosa entrevista. como amo a tua palavra e nela medito de dia e de noite.

  8. Pr. Eli Felete Domingos

    Paz do Senhor Pr. Paulo Pontes! Parabéns pela entrevista ao Pr. Antônio Gilberto, sem sombra de duvida uma benção para os que amam Deus e sua Palavra. Não sei se posso lhe sugerir, mas quando possive, uma entrevista também com o estimado Pr. Ciro Sanches Zibordi, que também é um instrumento nas mãos de Deus e tem lutado em prol da obra de Cristo. Creio que será de muita valia para todos os servos de Jesus. Obrigado Pr. Paulo Pontes, que o Senhor Jesus continue te usando, pois aquele que se dispõe em prol da causa de Cristo por certo o Deus altíssimo renovará sua força e lhe abrirá porta grande e eficaz. Seu irmão menor, Pr. Eli Felete Domingos

    • Meu irmão, Pr. Eli Felete Domingos, obrigado pelas palavras e pela sugestão. Vou procurar agendar uma entrevista com o Pr. Ciro Sanches Zibordi. Acompanho regularmente as publicações desse abnegado homem de Deus. Conte com nossas orações para todo seu o ministério na Europa. Um forte abraço.

  9. Sérgio Luiz da Silva

    Gostaria de agradecer a Deus pela vida do Pr. Antonio Gilberto e pela elucidação de temas por demais polêmicos. Sou membro da AD em Cordovil, sirvo a Deus na congregação de Nova Canaã como Presbítero, e me sinto honrado de tê-lo como Pastor da minha igreja. Um abraço e a paz do Senhor.

  10. A Paz do Senhor, sempre admirei o Pr. Antônio Gilberto, por tudo. Agora, sobre o ministério feminino, é uma posição bem brasileira e um mistura de suecos com nordestinos (Não sou preconceituoso, é o que a história das AD’s diz). Pois as Assembleias de Deus Norte Americana nunca encontraram base bíblica para condenar a consagração de uma mulher que é chamada ao ministério desde 1930. Será que por que?(http://ag.org/top/Beliefs/Position_Papers/pp_downloads/PP_The_Role_of_Women_in_Ministry.pdf)

  11. Quem acha que para fazer a obra de Deus é preciso ser ordenado ou ter um título está equivocado!!
    No Reino de Deus não há lugar para títulos! O que conta é se estamos cumprindo o Ide de Jesus!!
    Letreiros com nomes de igrejas, estatutos e ordenações são NADA perante a Palavra de Deus que ordena que vivamos em união e proclamemos o evangelho!!
    O ministério que recebemos de Cristo foi o da Reconciliação: “E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;” 2 Coríntios 5:18
    Se estivéssemos ocupados em exercer esse ministério, não haveria espaço para disputa entre ministério de homens e de mulheres, pois estaríamos todos em unidade de pensamento para cumprirmos a vontade de Deus!!
    Tanto homens como mulheres deveriam considerar irrelevante o fato de terem sido ordenados ou não para cumprir a vontade de Deus.

    P.S. – os comentários aqui foram feitos na maioria por homens. Será que as mulheres estão perdendo espaço também na leitura e estudo da Palavra de Deus? Será esse “ministério” também exclusivo dos homens?

  12. Para os que conhecem pouco a história assembleiana, e aqui está o busílis, como diz o Reinaldo Azevedo, até 1930 as mulheres participavam das EBOs e tudo o mais. Se fazem o trabalho é porque lhe damos. São os homens que possuem as prerrogativas para determinar quem vai fazer o quê. A Bíblia proíbe a ordenação, nas palavras do nobre pastor, MAS se lhes permite fazer exatamente o que é prerrogativa da… ordenação. Vá entender?

    Cantora? Poooode! Professora de criancinhas comportadinhas (do tipo que deixam a professora rouca todo domingo)? Pooode! Dirigente de Círculo de Oração Infantil? Pooode! E de Círculo de Oração de Adultos, para orar, em média, quatro horas por semana? Pooode! E por que pode? Ora, porque os ministros e obreiros, mesmo quando aposentados, não querem desempenhar tais funções, terceirizando, por conveniência, a responsabilidade! Quando o Círculo de Oração foi fundado em Casa Amarela, Recife/PE, certamente as irmãs foram pedir para que o pastor permitisse as reuniões, organizasse administrativamente o orgão, etc. Por que ele não disse: Olha, irmãs, não posso permitir tal reunião a menos que um presbítero de minha confiança a dirija? Tanto venham…!

    A respeito do grego noto a ligeireza, com todo respeito, aliás, característica. Certamente lá em Cencréia aconteceu como em muitos lugares. Mandam uma mulher cavar o poço, depois o homem distribui a água. Fui sutil? Como assim, a obra não pode parar por problema humano? É essa a abordagem que o nobre pastor usa para não se furtar a dar sua contribuição ao lado de Marlene LeFever, num Congresso de EBD? Ele estava lá, por que não usou toda ortodoxia para não pregar ao lado de uma mulher? Por que ele não rejeita os convites da Igreja americana que ORDENA mulheres?

    Leiamos a posição oficial da Assembléia de Deus americana (aquela mesma que é a queridinha dos estudiosos brasileiros), sobre quem era Febe:
    Phoebe, a leader in the church at Cenchrea, was highly commended to the church at Rome by Paul (Romans 16:1,2). Unfortunately, translation biases have often obscured Phoebe’s position of leadership, calling her a “servant” (NIV, NASB, ESV). Yet Phoebe was diakonos of the church at Cenchrea. Paul regularly used this term for a minister or leader of a congregation and applied it specifically to Jesus Christ, Tychicus, Epaphras, Timothy, and to his own ministry. Depending on the context, diakonos is usually translated “deacon” or “minister.” Though some translators have chosen the word deaconess (e.g., RSV, because Phoebe was female), the Greek diakonos is a masculine noun. Therefore, it seems likely that diakonos was the designation for an official leadership position in the Early Church and the proper translation for Phoebe’s role is “deacon” (TNIV, NLT, NRSV) or “minister.” Moreover, a number of translations reflect similar biases by referring to Phoebe as having been a “great help” (NIV) or “helper” (NASB) of many, including Paul himself (Romans 16:2). The Greek term here is prostatis, better translated by the NRSV as “benefactor” with its overtones of equality and leadership.

    Por que não mencionar sinergos, para cooperadores, Áquila e Priscila, em Rm 16:2? Por que ele não falou sobre kopiaô, no mesmo capítulo 16 de Romanos? É o verbo que Paulo usa para o trabalho de Maria (v. 6), Trifena, Trifosa (v. 12)? E não se refere ao trabalho doméstico? Ali mesmo em 16:7 ele cita o caso de Júnias, uma apóstola, mas o termo TAMBÉM está no masculino!? Aliás, sobre Júnias o comum naqueles que condenam o ministério feminino é dizer que é uma variante de nome masculino. Leiamos o que diz o mesmo documento da AD americana sobre ela:

    Junia was identified by Paul as an apostle (Romans 16:7). Beginning in the thirteenth century, a number of scholars and translators masculinized her name to Junias, apparently unwilling to admit that there was a female apostle. However, the name Junia is found more than 250 times in Rome alone, while the masculine form Junias is unknown in any Greco-Roman source. Paul clearly was a strong advocate of women in ministry.

    Por fim, não vejo os problemas apontados pelo nobre pastor e o respeito como articulista e mestre. Leio e ouço sobre o problema de mulheres não ordenadas mandarem em seus maridos, inclusive, com respeito à ordenação de obreiros. Isso no Brasil todo, pois tenho muitos contatos País afora. Ouço falar de sangrias dos cofres promovidas por irmãs insuspeitas, que mal falam ao microfone, quanto mais almejar o ministério. Ouço falar da imposição de festas de aniversário e presentes caros. De compras de imóveis e carros para satisfazer a certas madames. Sem falar nos pecados… Com todo respeito, é como se diz por aqui: é muita falta do que fazer! Queria eu que todos os problemas da AD brasileira fosse a ordenação ministerial feminina. Queria eu…!

    Documento da AD americana aqui
    (http://ag.org/top/Beliefs/Position_Papers/pp_downloads/PP_The_Role_of_Women_in_Ministry.pdf)

    • Francisco Gildo Alves Gomes

      Prezada irmã Daladier Lima dos Santos,

      Queria eu também esse fosse o único problema da Assembleia de Deus no Brasil, mas não é. Ainda assim é um grande e grave problema porque meche com a estrutura de governo que Deus estabeleceu para a sua igreja. Porém os erros em diversas áreas não justificam mais erros. Apesar de todos aqui salientarem a competência do digníssimo teólogo Antônio Gilberto(aliás o que é verdadeiro), mais do que o assunto em si, porém o que está sob julgamento não são suas credencias e profundidade teológica e, sim, suas idéias na abordagem temática sobre “ordenação feminina”. Pelo menos concordo com você que o nobre doutor assembleiano abordou a temática de Febe em Romanos 16 de modo não satisfatório. Acrescento em tempo que no geral o artigo é satisfatório e eu concordo em gênero, número e grau com o entrevistado mesmo com os detalhes que precisam ser melhor esclarecido. Mas como houve de sua parte uma tentativa de refutação sobre a citada exegese do texto bíblico e ainda a menção do documentado da Assembleia de Deus americana em apoio ao pastorado feminino, resolvi contribuir na discussão sobre o assunto. Primeiro, realmente dizer que o grego é masculino em Rm 16.2 ou afirmar que a oração no grego em 1Tm 3.11 parou é meio enigmático para um leigo como eu. Mas isso talvez não o seja para o autor, embora os leitores continuem sem a devida clareza na explicação. Sem contar que isso abre um precedente enorme, pois se o trabalho ali era novinho(?) ou não havia homens qualificados para a função então a ordenação de mulheres pode ser aprovada quando e onde a mesma realidade ainda hoje acontecer. Diga-se de passagem que foi isso o que a Convenção de 1930 homologou, após o debate Vingren x Nystrom sobre tal questão tendo em vista que Gunnan Vingren chegou até a separar uma diaconisa no Brasil, a irmã Emília Costa, no Rio de Janeiro em 1926. Naquela época a convenção concluiu firmados no que eles chamaram de “princípio do estado de necessidade”, baseado em Mt 12.3-8 que “não se considera justo que uma irmã tenha a função de pastor ou de ensinadora, salvo em casos excepcionais… Isso deve acontecer somente quando não existirem na igreja irmãos capacitados para pastorear e ensinar”. Bem, tal princípio de exceção não existe na sagrada escritura e se assim fosse o texto paulino de 1 Tm 2.11,12 deveria constar a excetiva, mas nesse caso ela ficará por nossa conta. Segundo, voltando ao caso de Febe, onde a interpretação igualitarista diz que ela era diaconisa e chefe sobre muitas pessoas, a NVI – Nova Versão Internacional, traduz o texto de modo adequado dizendo que Febe “tem sido de grande auxílio para muita gente, inclusive para mim”. O problema aqui é que alguns entendem que o grego proistemi, uma forma verbal de prostatis que significa “protetora”, “líder” ou “alguém que estar a frente” apresenta Febe exercendo liderança na igreja. O mundialmente conceituadíssimo Weyne Grudem, mostra-nos que não. Segundo ele, os dois léxicos gregos mais recentes apresentam prostatis como “mulher em função de apoio” ou “mulher ativa em socorrer”. Como disse Grudem, o apóstolo está fazendo um jogo de palavras do tipo: “Deem a ela toda a ajuda(paristemi) que precisar, pois ela tem ajudado(prostatis) muita gente e a mim também”. Até porque ao darmos um significado de líder para Febe nessa passagem a Bíblia fica distorcida porque ao dizer que tem liderança sobre muitos irmãos e inclusive sobre o apóstolo Paulo estaria contradizendo Gl 1.1-12,17 onde nem os apóstolos de Jerusalém tinham autoridade sobre Paulo. A amada irmã ainda alega outros argumentos também deduzidos de Romanos 16 como: 1) o uso do termo sinergos para “cooperador” ou “companheiro de trabalho”. Mas o uso do vocábulo não quer dizer que a pessoa sempre tem autoridade de governar ou ensinar a igreja. Por exemplo em 3 Jo 1.8 o apóstolo fala que “devemos acolher esses irmãos, para nos tornarmos cooperadores(sinergos) da verdade”. Ora, isso não quer dizer que cada irmão que acolhesse um missionário exercesse papel de governo na igreja do Senhor. Todos sabemos que é um argumento falacioso dizer que só porque alguns cooperadores tem autoridade de governo no Novo Testamento como Timóteo e Tito por exemplo, concluir daí que todos os cooperadores tenham igualmente a mesma autoridade. Sobre Aquila e Priscila, é um velho argumento igualitarista batido e já rebatido pelos complementaristas. Geralmente se diz duas coisas equivocadas sobre Priscila: primeiro que assim como ela ensinou Apolo em At 18.26, então as mulheres podem ensinar os homens na igreja; e em segundo como Priscila é sempre mencionada antes de Áquila então ela era líder de uma equipe ministerial. Bem isso não faz jus a argumentação correta. O que os complementaristas creem é que a Bíblia restringe o governo e o ensino a congregação aos homens conforme 1Co 14.33-36; e 1 Tm 2.11-15, sem ser precioso lembrar que as duas listas de qualificações ao presbiterato em 1Tm 3 e Tt 1 sempre diz “marido de uma só mulher” e nunca “esposa de um só marido”. Isso não desqualifica a mulher ao ensino e instrução particular da Bíblia como é o caso de Priscila, pois o texto de At 18.26 afirma que Priscila e Aquila “tomaram consigo”, referindo-se que instruíram particularmente a Apolo. E em referência a primazia de Priscila, pelo fato de seu nome constar antes de Aquila, temos várias opiniões de eruditos como F.F. Bruce que sugere, uma personalidade mais notável ou o seu nível social, talvez ela fosse de uma família romana nobre; Cranfiel diz que é pelo fato de Priscila ter se convertido antes de Aquila e por aí vai. Mas ninguém sabe ao certo, e chegar a conclusão que Priscila exercia função ministerial na igreja a partir da ordem dos nomes é pedir mais do que o texto pode dar e significar. E ainda, quando Paulo fala da igreja na casa desse casal em 1Co 16.19 ele coloca não na costumeira ordem Priscila e Aquila, e, sim, na ordem Aquila e Priscila, portando não temos uma regra rígida aqui. Em seguida você cita com ligeireza o verbo grego kopiaô. Ele pode ser visto em 1Co 16.16 quando o apóstolo diz que irmãos se sujeitem ao que é cooperador e obreiro. Mais uma vez isso não significa que Paulo quer que os irmãos se sujeitem a todo aquele que ele se referiu com esse verbo, pois se assim for que diremos de Ef 4.28? O contexto é quem responderá sempre. No caso de 1Co 16.16 o v. 15 mostra a casa de Estéfanas como aqueles que se consagraram ao serviço cristão. Sabemos que a família de Estéfanas eram as primícias da Acaia e foi daí que saíram os presbíteros da igreja, pois na Carta de 1Clemente(42.4), escrita aos coríntios em 95 d.C. ele exorta os crentes a não afastar os presbíteros colocados por Paulo dizendo que o apostolo “instituiu os primeiros convertidos… como bispos e diáconos dos futuros crentes.” Mas o que me admirou mesmo foi o argumento de Júnias como apóstola e acrescentou logo que é comum entre nós dizer que é uma variante de nome masculino. Minha amada irmã, uma pesquisa feita em computador nos escritos gregos entre Homero(século 9 a.C.) até o 5º século depois de Cristo, percebeu-se que existem apenas três ocorrências do nome Júnias além de Romanos 16.7. No caso dos primeiros cristãos temos duas posições sobre Rm 16.7: Epifânio, bispo de Salamina, diz que a Júnias aqui é um homem que veio depois a ocupar um cargo de bispo em Apanéia na Síria; já Crisóstomo afirma que Júnias era uma notável irmã diante dos apóstolos. Mas em corroboração ao testemunho de Epifânio temos Orígenes que morreu em 252 d.C., e também refere-se a Júnias no masculino. E isso não é incomum na Bíblia termo nomes masculinos com terminações em “as” como Zacarias e Elias, por exemplo. Mas deixando de lado as questões das variantes textuais, pois esse não é o ponto principal da questão e, sim, a expressão “Andrônico e Júnias eram bem conhecidos entre os apóstolos”. Apóstola???(risos, perdoe-me por favor). Até 2001 existiam dúvidas sobre a construção grega desse versículo, mas agora não mais. A expressão “bem conhecida entre os apóstolos”, é hoje traduzida como “bem conhecida dos apóstolos” e isso foi depois de uma extensa pesquisa com comprovações no grego extrabíblico. O erudito Dan Wallace disse que: “colocações com palavras de percepção(en mais) nomes próprios no dativo são quase sempre usadas para indicar os receptores.” Atualmente conforme os estudiosos de grego os igualitaristas devem nesse texto ficar caladinhos porque os especialistas já deram o veredito linguístico. E assim não é mais preciso nem explicar os diferentes significados do vocábulo “apóstolo” como sendo também mensageiros tal qual 2Co 8.23 ou Fp 2.25. E por fim como você citou documentos da Assembleia de Deus americana – “a queridinha dos estudiosos brasileiro” – embora eu não tenha certeza disso. Bom, vamos ficar somente no nível de estudiosos assembleianos claro. Mas vamos com calma. É verdade que a Assembleia de Deus na outra América aprova a ordenação feminina há bastante tempo. Mas quando lemos as declarações ficamos estarrecidos ao chegarem a conclusão que o assunto é polêmico. E ainda assim tomaram uma posição, mas também não é unânime por lá. A prova é que a BEP – Bíblia de Estudo Pentecostal, com as notas de Donald C. Stampes e tendo como consultor o grande teólogo americano Stanley Horton é contra a ordenação feminina em suas notas explicativas de 1 Tm 2.12,13. E mesmo que o volume da americana Teologia Sistemática – uma perspectiva pentecostal (editada por Stanley Horton, CPAD, 1996), não tenha tomado uma posição clara sobre o assunto; e nem a brasileira Teologia Sistemática Pentecostal (editada por Antônio Gilberto, CPAD, 2008), não aborde francamente o tema, ainda assim não estamos sem lemes nas navegação dessas águas. No meio reformado temos a Teologia de Weyne Grudem, muito útil na compreensão desse assunto tão atual e urgente; e no meio pentecostal, a recém-lançada Teologia Sistemática – uma perspectiva pentecostal, de J. Rodman William, da editora Vida acadêmica, também traz uma boa discussão. E acima disso claro, está a supremacia da palavra de nosso Deus que deve ser lida, amada, obedecida em todos os assuntos que trata, principalmente aqueles que tratam do governo de seu povo cujas regras aos e sobre os líderes foram estabelecidas pelo nosso Senhor, através de seus santos apóstolos. A paz do Senhor para a irmã e para todos e que estejamos unidos na unidade da comunhão e da fé cristã.
      Gildo Gomes

      • Francisco Gildo Alves Gomes

        Ao irmão e evangelista Daladier Santos as minhas mais sinceras desculpas. Somente depois percebi que havia dirigido-me ao querido irmão no gênero feminino. Foi um erro meu, perdoe-me meu irmão. No texto leia-se agora “Prezado irmão” e onde estiver as expressões amada ou irmã leia-se “irmão” e “amado”. Os argumentos ficam como estão. Muito obrigado.

        • Prezado Irmão Fracisco Gildo,

          Não tinha visto seu comentário (23 dias depois?). Vou ser sucinto. Esta decisão da igreja americana foi tomada em 1918 e até onde sei nunca foi novamente colocada em discussão! A prostatis era a mulher que, no modus vivendi judaico, lia a Torá e ensinava às crianças, na ausência de todos os homens de uma comunidade. Numa guerra, por exemplo. Com relação a synergos é a palavra para quem trabalha em sintonia, numa mesma atividade de outrem. Uma imagem vívida do termo são dois remadores de cada lado de um barco. Kopiaô é o verbo do trabalho eclesiástico por excelência. Atribuído a Maria, Trifena e Trifosa. Júnias está bem explicado no documento americano. Esse “entre” foi uma ginástica… Stanely Horton é um dos que subscreve o documento da AD americana. Que é sim a queridinha dos brasileiros, tanto que nossa amada CPAD vai buscar lá seu portfólio. E das fontes americanas bebe boa parte dos nossos teólogos formados ou em formação.

          Vamos falar do governo: podemos enviar missionárias ao campo (mesmo solteiras)? O senhor dirá: Sim! Quem é maior: uma missionária ou um diácono? Um diácono, responderá. Logo…

          Por que achamos natural que uma mulher ensine na EBD e em nossos seminários, mas querendo cumprir a Bíblia, segundo seus argumentos, ela não possa dirigir a EBD? Pode dirigir Círculo de Oração, mas não EBD?

          Nem defendo diretamente que elas sejam consagradas, jamais levantaria bandeiras por isso. A minha questão é que esta argumentação se esboroa no dia-a-dia de nossas igrejas. Imagino que nem haja mulheres entre nós querendo a honraria. Já que lhe demos ônus do cargo, por que não o bônus?

          Abraços!

      • Já há um bom tempo não tenho me dirigido ou me referido ao evangelista Daladier. Gostei da oportunidade para, entre outras coisas desejar-lhe, e a aos demais blog-seguidores um Ano de bençãos. Li atentamente o comentário do Irmão Gildo, que contesta o daquele meu amigo. Quero, da minha parte apenas dizer que a afirmação de a decisão da Assembléia de Deus americana, quanto à ordenação feminina é polêmica e não unânime. É legítimo dizer isto, mas alerto para o fato de que, aos incautos ou desatentos, pode parecer que isto seja relevante. Não é. Nenhum concílio costuma deliberar sobre o que não é polêmico e nada que seja polêmico precisa de unanimidade. O que é necessário é que a minoria vencida se curve à maioria. Depois disto vale um “Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós”. A solução de discordâncias tem muitas regras na Bíblia que para nós podem ser estranhas. Até lançamento de sortes ocorriam. Paulo, antes da belíssima e clássica bênção apostólica de sua segunda aos Coríntios, recomenda que sejamos de um mesmo parecer. Não significa que todos tenham que achar a mesma coisa, mas que cheguem a um consenso. Isto exige que as vozes vencidas tenham grandeza para observar que fizeram o que de sua parte era esperado. Ou seja, argumentar até à exaustão. E perderam. A partir daí vale defender a opinião contrária. Não é maduro magoar-se, como ocorre frequentemente em Igreja, e dissidir porque a ideia defendida foi derrotada. Pode-se chegar ou não à unanimidade, mas é mais nobre não chegar e o derrotado compreender do que todos pensarem uniformemente. Isto não é humano e não é cristão. Não chegando-se à unanimidade (e à deliberação por aclamação), delibera-se por maioria. Espero que tenha ocorrido isto na Igreja americana. E isto é o que basta!

  13. Afrânio Alves Ciriaco

    Lamentavelmente inúmeras "Assembleias de Deus, estão surgindo… Encontramos supostos Exegetas que além de consagrarem mulheres a Diaconisas, a Presbíteras, e a Pastoras"; não vai demorar muito tempo para vermos alguns(as), sendo "consagradas(os) a serafina, miguelina e Gabriélina". Recentemente a CPAD Lançara o livro "Casamento, divórcio e sexo a luz da Biblía". O autor afirma nas paginas 63 a 66 que o candidato ao Ministério Diaconal, ao Presbiterato e ao Pastorado pode ser consagrado ao Ministério, mesmo tendo duas mulheres vivas. O mais triste de se ver e ler no livro do nobre colega, é que o mesmo afirma que o posicionamento dele veio através de uma profunda e nova, novíssíma exegese "biblica". O mais absurdo é que o autor despreza os ensinamentos de Orlando Boyer; afirma ele que em alguns pontos concorda com o mesmo. Imagine a avalanche de candidatos divorciados, ou seja, tendo duas mulheres vivas, realizando uma cerimônia religiosa e na hora "H" a 1ª esposa aparece sem ele perceber. Ninguém merece um negócio deste. nnnn

  14. sebastiao martins rodrigues

    é preciso defender a doutrina de jesus e dos apóstolos, não podemos agradar o homem porque o coração é enganoso e perverso jr cap 17v9 e em judas tem a explicaçâo !!!!…..

  15. É importante as pessoas não seguirem o Pastor Antonio Gilberto como se também ele tivesse autoridade canônica. Li na entreviste dele a seguinte afirmação “O apóstolo Paulo que é um paradigma, não separou, nunca ordenou mulheres. Agora, mulheres trabalharem no Santo Ministério, tanto venham.” É tolice. Para alguém cuja opinião ninguém quer contestar é tolice maior. Paulo é o pior paradigma que se invoque para não ordenar mulheres. Onde está na Bíblia dito que ele, Paulo, foi ordenado? Ele usou o título de apóstolo por muito tempo enquanto a cúpula da Igreja não o reconhecia. É só o Pastor Antonio Gilberto ler os dois primeiros capítulos da Epístola aos Gálatas. Gálatas 1 1 – PAULO, apóstolo (não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos), 15 – Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, 16 – Revelar seu Filho em mim, para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue, 17 – Nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia, e voltei outra vez a Damasco. 18 – Depois, passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro, e fiquei com ele quinze dias. Gálatas 2 1 – DEPOIS, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando tam-bém comigo Tito.Gálatas 2:9 9 – E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão; Depois de quase duas décadas de seu apostolado é que foi reconhecido por Cefas, João e Tiago. Não chamaria isto de ordenação porque Tiago não era apóstolo. Ora, se a igreja por quase vinte anos desconheceu que Paulo era apóstolo, como eu posso dizer que ele foi ordenado? Tanto mais que ele por duas vezes diz que não buscou entre os homens essa confirmação mas diretamente de Deus. Tanto mais ainda que a Igreja firmou questão, ao nomear Matias, em que um dos quesitos para ser apóstolo era ter andado com Jesus em sua caminhada terrestre. Licença para ignorar que o pastor em questão é cheio de diplomas e eu sou um grande nada. Basta saber ler! Paulo não ordenou mulheres. Possivelmente não porque mulher não podia ser ministra, mas porque, com base na própria vida do apóstolo, aquelas formalidades só servem para ocupar tempo. Há um reino para ser implantado sem ou com ordenação. Agora, implicar com as mulheres buscando desesperadamente base em alguém que era apóstolo fora das formalidades de ordenação é no mínimo coar um mosquito e engolir um camelo.

    • Gostaria, em tempo, de acrescentar que a afirmação de que Paulo não ordenou nenhuma mulher tem por base não haver nenhuma informação na Bíblia a respeito. A honestidade ao comentar obriga a concluir que Paulo se refere a muitos homens na Bíblia mas, em lugar algum ele ordena esses homens. Agora, se Paulo não dizer que ordenou significa que dizer que não ordenou (não dizer que = dizer que não), devemos entender que Paulo não foi ordenado. Pelas referências bíblicas listadas no meu comentário acima, tenho mais razão para entender que Paulo não foi ordenado do que para entender que mulher nenhuma foi ordenada por ele. Agora, é preciso saber se somos honestos ao discutir ou se temos uma ideia e queremos mante-la com ou sem evidências.

  16. Tenho observado a repercussão da entrevista, e que a maioria dos comentários se refere a questão do Ministério Pastoral Feminino que é um assunto polêmico, cujo debate já dura por décadas. Mesmo sem chegar a um consenso, hoje algumas igrejas Assembleias de Deus já reconhecem a ordenação de mulheres. Porém, conforme explicou o pastor Antônio Gilberto não existe respaldo bíblico-doutrinário para isso. Na entrevista, com exclusividade para Seara News, o pastor esclarece assuntos polêmicos, do ponto de vista bíblico, doutrinário e teológico, destacando a importância da doutrina bíblica para a igreja. E afirma que as citações e referências bíblicas são à luz do texto original [http://searanews.com.br/pr-antonio-gilberto-a-importancia-da-doutrina-biblica-para-a-igreja/]. O Pr. Augustus Nicodemus corrobora a declaração do pastor Gilberto, pois diz que “querer defender pastoras evangélicas com base no pastoreio de ovelhas feito por mulheres no Antigo Testamento é ir além do que a analogia permite” [http://searanews.com.br/defender-o-ministerio-pastoral-feminino-e-ir-alem-do-que-a-analogia-permite-teologo-comenta/].

  17. Reconheço que sou um mísero átomo em comparação com o ilustríssimo senhor Antônio Gilberto, mas mesmo assim, gostaria de deixar minha leiga opinião. O fato de não haver indícios bíblicos, principalmente neo-testamentários, de ordenação e/ou “diaconização” de mulheres não significa que tal prática poderia não ter existido nos tempos bíblicos. Talvez devido à cultura existente na época (altamente maxista, não só de judeus, mas também de romanos e gregos) poderia ter impedido a popularização de pastoras e/ou diaconisas.
    Um exemplo claro (o único), que não podemos deixar de mostrar, é de Romanos 16:1, onde Paulo recomenda a irmã Febe. A palavra que designa essa irmã, no original, é Diáconon, que, embora tenha um formato de substantivo masculino, encontramos nos dicionários grego-português e em Novos Testamentos Gregos Analíticos tal palavra sendo usada tanto com o artigo masculino (ró), quanto com o artigo feminino (rê) e no caso de Romanos 16:1 o artigo é feminino (rê).

  18. O que eu gosto do Pr.Antonio Gilberto é que ele respalda os seus comentários na Bíblia Sagrada e contra ela NÃO HÁ argumentos. Pena que a nossa querida Convenção Geral das AD’s (CGADB) me parece estar omissa em relação a assuntos que parecem ser um incômodo, como o pastorado feminino (ou seria medo de falar a verdade ? Porque não disciplinar Convenções Estaduais filiadas a ela que já adotam esta prática antibíblica ? A CEADDIF lá de Brasília já adota isso ! ). Que DEUS dê ainda muitos anos de vida ao Pr.Antonio Gilberto pois ele, o Pr.Russel Sheed e tantos outros anciões de Deus no Brasil são como “lendas vivaas” da Igreja Evangélica brasileira. Sem nenhuma idolatria mas eu paro prá ouvir e ler artigos destes amados. A DEUS TODA GLÓRIA.

  19. ALDENIR DE SOUSA FREITAS

    PASTOR ANTONIO GILBERTO,

    SOU PROFESSORA DA EBD E GOSTARIA QUE VOSSA EXCELÊNCIA ME ENVIASSE UM ESCLARECIMENTO SOBRE A SEGUINTE DECLARAÇÃO:

    SINOPSE DO TÓPICO(3) LIÇÃO 7 O DIVÓRCIO

    O APÓSTOLO PAULO AFIRMA QUE A PESSOA CRENTE, QUANDO ABANDONADA PELO CÔNJUGE NÃO CRENTE, ESTÁ LIVRE PARA CONCEBER NOVAS NÚPCIAS

  20. Acredito que a rotina citada dos Reformados, talvez devesse ser melhor explicada, pois nós os pentecostais estamos em várias heresias exatamente por termos fugido da rotina da doutrina bíblica! Têm pastores ainda hoje achando que doutrina é apenas usos e costumes! Qual foi a última vez que o irmão participou de um "culto de doutrina" (já começa aqui o erro, pois todo culto têm que ter Doutrina) e neste culto foi ensinado sobre os atributos de Deus? Soberânia Divina? Ou ainda, justificação pela fé somente? Graça? Oxalá tivéssemos ficado com a rotina das velhas verdades defendidas por todos os reformadores, tais como Spurgeon, Wesley, Moody, etc. Lógico que devemos estar vivos ao ministrarmos tudo isso, mas notamos claramente que nosso povo já nem sabe mais o que é isso! Ensinam sobre prosperidade financeira anti-biblica (a forma), doze passos disso, sete passos pra aquilo e por vai! Silas Malafaia que o diga, usando a Bíblia pra somente pra defender as idéias pré concebidas da mente psicóloga dele! Precisamos de A.W.Pink, A.W.Tozer, Leonard Havenhill, Paul Washer, Spurgeon, David Wilkerson! Antes tivessemos ficado com o arroz com feijão com a graça de Deus somente à ter tanta feijoada custeada com a lã das ovelhas! A diferença está entre os que creem ser mais importante o caráter do que o poder! Poder descontrolado gera crentes doentes que subjulgam os mais fracos,caráter é resultado de ensino bíblico sério e sistemático ao invés de congressos em busca de Poder para trasnformar gente que não quer compromisso com a Palavra de Deus! CGADB e CPAD estão enfermas a muito tempo!Infelizmente o digo pois sou Assembleiano e Pentecostal, porém não ando com cabresto e tapa olhos como o asno, como muitos querem que eu ande! Não como no coxo que querem me fazer comer, pois a exemplo do governo brasileiro, um povo inculto é mais fácil de colocar os carros de ferro e gritar pra que os carreguemos!

  21. Por favor, peço que me responda o seguinte: bater palmas é adoração a Deus ? Porque nossos pastores (da A D aqui no Ceará) criticavam as outras denominações por bater palmas e agora fazem o mesmo mandando os membros baterem palmas ? O salmo 41:1 é para a Igreja nos dias atuais ? Pastores que ainda zelam pelo rebanho me respondam por favor.

  22. Entendo como importantíssimo o Estudo do Tema Doutrina da Trindade; e pulsa de maneira intensa no meu coração (cognição, mente) o desejo de vê-la estudada e discutida de maneira madura e séria ─ quer defendendo-a ou contestando-a ─, e nessa minha obstinada visão e intenção; postei um Blog com o título THE DOUTRINE OF THE TRINITY IS HERESY ─ A DOUTRINA DA TRINDADE É HERESIA, endereço http://www.heresiadatriunidade.blogspot.com , para o qual peço toda atenção, como estou tendo para com seu Blog. E termino dizendo que o Blog em apreço é um Estudo de certa extensão textual de pesquisa séria: sujeito à também séria contestação de quem se dispuser a fazê-lo… Leia também o Blog O DÍZIMO, A BÍBLIA E A ERA DA GRAÇA, endereço, http://www.odizimoabibliaegraca.blogspot.com e os demais, num total de vinte e três Blogs, sendo oito deles sobre HOMOSSEXUALIDADE, os quais (os 23): no de endereço ─ http://www.doutrinadasideiasepalavras.blogspot.com se pode acessar a todos eles.

    Atenciosamente JORGE VIDAL

  23. este pr. tem nos trazido muita edificação com as suas obras e comentários nas lições da E>B>D.sucesso a ele e família.

  24. josé maria c barros

    pr antonio quero tirar uma duvida sobre a trindade pois estou muito confuso com alguns ensino que recebi em um seminario ministrado pelo pr audery nelson rocha; estou confuso por favor me ajude

  25. josé maria c barros

    me mande um estudo sobre a trindade por favor pr preciso tirar algumas duvidas

  26. Marcus Vinicius Moreira Costa - Pr.

    Graça e Paz a todos em Cristo Jesus. Amados irmãos, não quero tecer longos comentários porque não se faz necessário, mas gostaria de dizer algo da parte de DEus a todos e a mim também. Deus levantou homens da fé e do Poder de Deus em nossos últimos tempos, mas, poucos como o amado Pr. Gilberto. Não é engrandecimento humano nenhum, mas algo que precisa ser dito a todos nós pastores ou não. Deus nestes últimos diasa tem requerido de Sua Igreja santidade a toda prova, doutrinas verdadeiramente bíblicas, e um espírito espontaneo de adoração. Mas, muito poucos tem vivido ou até vivenciado isto hoje em dia. Por que? Falta coragem de um posicionamento unicamente bíblico para todas as questões do nosso cotidiano. estamos nos dseixando levar pela onda humanista satanica quie tema dentrado as igrejas como nunca dantes, e simplesmente, nos acovardamos e fechamos nossos ouvidos e corações para tudo que vá de contra a estes ideologias baratas prergadas e asteadas por estes que se dizem pastoies. São todo tipo de heresias de acordo com o fregues. São festas de todos os tipos e nomes para chamar a atenção dos incrédulos. Programações pseudo-espirituais, num vazio sem fim que engoda e fermenta nossas almas. São ideologias minsiteriais enfiadas pela goela a dentro de igrejas que nada conhecem ou sabem o que a Bíblia verdadeiramente fala para a IGREJA DO SENHOR. Enfim são muitos caçiques e "caçicas" para poucos índios, assim como muitos pastores e "pastoras" para poucos crentes. Enfim, estamos vivendo o período das vacas magras e da escassez da chuva espiritual doutrinária de Atos do Espírito Santo através dos apóstolos. Amados, homens como o Pr. Gilberto são poucos. Deus daqui a pouco estará levando o amado pastor para o descanso precursor da Volta de Jesus. Quantos ainda restarão para ser mais um atalaia do Senhor nos dias de hoje. Eu particularmente fui tocado pelo Espírito do Senhor a uma comunhão mais profunda com Ele, não que não a tenha em minha vida, mas que seja muito mais do que é hoje. Louvo a Deus pela vida deste homem de Deus. CUIDADO COM AS FALÁCIAS DOS HOMENS! DEUS VOS ABENÇOE RICA E ABUNDANTEMENTE EM CRISTO. No Amor dEle. Pr. Marcus Vinicius M. Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*


nove − = 6

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Licena Creative Commons

Seara News foi licenciado com uma Licença Creative Commons